Rock Progressivo, um pouco sobre sua história

A geração de músicos ingleses dos anos 60 e 70 é realmente muito fantátisca. Poderia ficar um bom tempo citando excelentes artistas, que mudaram o rumo do ‘rock’ e de suas gerações. Por exemplo, é impossível falar sobre a década de 60 sem falar de ‘Beatles’, e muitas outras bandas (não citarei muitas para não cometer injustiças).

Pois bem, em meados da década de 60 (me corrijam, caso esteja errado) surgiu o movimento hippie, embalados por muitas drogas pesadas, liberalismo, e um certo engajamento político. Floresceu, nessa época, o rock psicodélico, que tentava mostrar ao mundo, através da música, o prazer e sensações que os entorpecentes traziam aos usuários. Nesse ambiente, em 1967, com o lançamento do álbum Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band dos Beatles o cenário musical inglês começou a sofrer algumas mudanças. O King Crimson em 1969, fortemente influênciado pelo disco dos Beatles e outras banda psicodélicas, lança um dos primeiros álbuns de rock progressivo (considerado por alguns o primeiro), o In The Court of The King Crimson. A partir desse marco, diversas banda mudaram o rumo de suas músicas (como o Pink Floyd, por exemplo) e aconteceu, na Inglaterra, o surgimento de vários artistas influênciados por essa nova corrente. Bons exemplos são: Yes, Genesis e outras dessa mesma época. Apesar dessas duas bandas terem sido formadas antes do lançamento do cd do King Crimson.

Basicamente, o rock progressivo é caracterizado por uma abertura a todos os possíveis estilos musicais porém, principalmente a música clássica, o Jazz e o Blues. Suas composições são longas (algumas chegam a 20 min) e possuem um alto nível poético, devido ao objetivo progressita de elevar a música a um patamar de grande credibilidade artística. As apresentações das bandas são praticamente teatrais, isso pode ser percebido através das apresentações do Genesis e principalmente de seu vocalista Peter Gabriel. Uma banda que se encaixa perfeitamente nessas definições é o Yes.

O rock progressivo explodiu e obteve seu auge por volta dos meados de 1970. Conquistou o mundo, e várias bandas lançaram álbuns com ‘pitadas’ progressivas, podemos citar o Led Zeppelin e o Queen, que lançou um álbum inteiro progressivo (A Night At The Opera). Após alguns anos, os artistas começaram a serem criticados pelo alto nível de exagero em suas apresentações e pelas longas músicas. Com aparecimento do movimento Punk, o rock progressivo acabou sendo ofuscado, e praticamente desapareceu.

Atualmente, existem bandas que estão renascendo o estilo, e fundindo com o hard-rock e o metal. Um bom exemplo é o Dream Theater.

É isso aí! Acho q ficou um pouco chato o post, mas espero ter agradado alguem. ..hahaha…Penso em citar brevemente, algumas bandas progressivas brasileiras. Abraços!

Publicado em 1. Tags: , . 1 Comment »

Uma resposta to “Rock Progressivo, um pouco sobre sua história”

  1. Fernando Melo Says:

    Você disse que esperava agradar alguém e realmente, me agradou… Interessante o texto, principalmente porque eu estou pesquisando algumas bandas e músicas progressivas, ultimamente tô ouvindo bastante Yes… E gosto bastante de Pink Floyd também… Eu fico muito impressionado quando ouço as músicas deles!


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: